YOGA

Origens do Yoga e Cidade Grande - Juliana Araujo ( Krishna Priyah)

 

Iniciemos com a tradução literal da palavra hatha que é ha-sol e tha–lua, que unidas formam a fusão dos "aparentemente" opostos, das polaridades energéticas, do masculino e feminino, do quente e frio; no entanto, pode também significar força / forte, o que nos leva a definição de Hatha, como uma disciplina altamente competente de aperfeiçoamento do ser humano, que há milhares de anos desperta vários de nossos potenciais. Exemplificando alguns deles, a disciplina, a compaixão, a saúde, a capacidade de dominar-se, o controle racional sobre as emoções e desejos,etc, que são apenas presentes que se pode receber no processo de auto descoberta. Resumindo, Hatha yoga pode ser chamado de "yoga da fortaleza interior".

      É ainda uma pratica muito bem elaborado por sábios (rishis) do passado e do presente que envolve diversas técnicas de purificações corporais como limpeza das fossas nasais, do sistema digestivo e dos ouvidos (shatkarmas); posturas psicofísicas (ásanas),chamadas dessa forma por atuar em vários níveis,como físico, energético ou prânico e emocional; contrações de grupos musculares específicos, com a intenção de formar uma "fechadura energética" (bandhas); posturas / posições ou ásanas que incluem essas travas ou fechaduras (mudras) ; técnicas de controle respiratório (pranayamas); controle dos sentidos (prathyahara) que são fundamentais para se viver na paz nos dias atuais; concentração em vários níveis (dhárana); meditação (dhyana ) que permita a consciência do Si Mesmo e êxtase (samadhi), ou como é chamado por Georg Feuerstein, um dos maiores yogis da atualidade, de êntase por conduzir o praticante a experiência última transcendental ao encontro do seu interior.

 

      É necessário também definir Yoga, o que farei de forma sucinta por ser uma tarefa um tanto complexa. Yoga é traduzido como união. Ele junta o que jamais foi separado, o que somente encontra-se encoberto por nossas ilusões e pela maneira de como nos identificamos com o mundo. É uma disciplina espiritual hinduísta com o objetivo de trazer a real consciência do que não somos - seres isolados, com pensamentos e atitudes que não interferem nas pessoas e no mundo - yoga cria a união da verdadeira irmandade e da responsabilidade com todos os seres exisitentes. Responde, também, as mais profundas questões da existência humana – quem somos? Porque existimos?-yoga une o homem ao seu intelecto superior e sabedoria além das crenças. Liberta o ser humano do sofrimento das causalidades, das dualidades e ata o ser humano a sua essência divina.

      O Yoga , existe muito antes do surgimento do Hatha e outras linhas. O Hatha yoga é bastante atual, surgiu no período pós-clássico na história da Índia, século IX e X dC, e foi atribuído ao surgimento dos grandes sábios visionários como os mestres Matsyendranatha e Gorakshanatha e mantém-se até os dias de hoje, com o surgimento dos textos clássicos preservados como Hatha Yoga Pradipika (tratado sobre Hatha) e Gheranda Samhita (tratado de Hatha ensinado pelo sábio Gheranda) do século XV. Isso é o que nos diz a história, só que é muito difícil definir com certeza as datas das obras literárias e também o seu surgimento, pois o Yoga sempre esteve vinculado a tradição védica e existem textos que se referem a essas práticas que aparecem muito tempo antes dessas datas aqui citadas.

      Busco ajuda no Hatha Yoga Pradipika de Svatmarana, onde diz que ‘a meta do Hatha é chegar ao Raja Yoga’, o Yoga do controle da mente e da realização de Si através de disciplinas morais que são:

Yamas:
      - não violência respeitando toda forma de vida planetaria(ahimsa);
      - verdade em todos os sentidos ,verdade a suas buscas e caminhos(satya);
      - não roubar absolutamente nada (asteya);
      - a castidade e respeito a sexualidade como forma de evoluçao e maturidade (brahmacharya);
      - não cobiçar aquilo que lhe tire a paz para ser conquistado ou que não seja seu e ainda o que seja instrumento para alimentar o Ego (aparigraha);

Nyamas:
      - pureza corporal, mental, emocional (saucha);
      - contentamento que é o contentun ,gratidão ao seu conteúdo e as bênçãos da vida. aceitar aquilo pelo que se está passando com equanimidade,seja alegria ou tristeza (samtosha);
      - a disciplina ,persistir, não desistir de suas utopias e praticas (tapas);
      - o estudo de Si- Mesmo, o auto conhecimento e o constante aperfeiçoamento (svadyaya);
      - e a devoção (Ishvara pranidana);

      Sendo estas disciplinas a base do controle e do auto conhecimento e os próximos passos são ásana, pranayama, prathyahara, dhárana, dhyana, samadhi.

      O hatha se baseia na filosofia Tântrica que vê o corpo humano como divino e percebe a possibilidade de transcendência neste corpo. Apesar de aparentemente estar vinculado ao Raja Yoga ele é uma caminho autônomo de libertação. Sua característica principal é que podemos fortalecer o corpo de tal forma que possamos cultivar realizações maiores como o samadhi, essas práticas purificam os canais sutis do corpo (nadis) pelos quais circula a força vital (prana).



      O Yoga foi descoberto no Ocidente, Estados Unidos e Europa, através grandes mestres como Yogananda, Sivananda e chegou ao Brasil por volta de 1947 e com a ajuda do professor e pioneiro Caio Miranda começou a ser difundido. O professor Jean Pierre Bastiou, foi um dos primeiros a ter uma escola que ensinasse Yoga em 1957,e assim fomos nos familiarizando com a profundidade dessa filosofia milenar que se manteve até hoje pelas mãos dos grandes professores-sábios como Hermógenes e o Shimada.

      Com o passar dos anos, a Índia já não é tão impossível e alguns professores começaram a buscar o conhecimento na fonte, trazendo-nos novos estilos e assim, novos nomes respeitados e famosos começaram a surgir, como o professor Marcos Rojo e Gerson D’Addio formados no Instituto Kaivalyadhama; professor Pedro Kupfer, que faz um lindo trabalho em Santa Catarina; o professor Marcos Schultz, que desenvolve um trabalho belíssimo (do qual saiu um cd) de mantras (sons meditativos que podem ser cantados em grupo) e ambos viajam constantemente a Índia, levando alunos e turistas para iniciar ou se aprofundar na prática espiritual; o Yoga entra nas academias, clínicas, institutos e as formações começam a ser muito procuradas. Hoje, escolas e professores internacionais vêm ao Brasil com muita freqüência, como a escola Sivananda Yoga Vedanta Centre, uma das mais tradicionais que oferece uma formação intensiva em ‘regime monástico’.

      Não quero deixar de fora nenhum colaborador importante para a tradição, como o professor André De Rose, a filósofa Araci Negreiros, a professora Sônia Novaes, Glória Arieira, Márcia de Lucca, mas são vários os nomes que posso citar, dos que fizeram e fazem permanecer intacto o conhecimento e transmiti-lo da forma correta e fiel.

      Fico bastante feliz de observar que apesar de algumas ondas passageiras de modismo, ainda existem pessoas que realmente procuram essa tradição com a intenção verdadeira de transforma-se e transformar o mundo.

      Encontros, revistas, seminários, cursos de graduação universitária, hoje, são muito comuns e procurados por alunos, curiosos, pessoas que curtem uma moda hippie ou alternativa.

      O Yoga faz muito sucesso no mundo todo por possuir inúmeros benefícios para a saúde física, mental e espiritual. Só que tudo isso não é tão simples de se obter.

      No mundo atual de internet, fast food, onde todos querem tudo pra ontem, onde o tempo, que é o mais precioso dos mestres é considerado dinheiro, são poucas as pessoas que procuram o Yoga pelo seu objetivo final, pois isso necessita muito tempo, amadurecimento e dedicação. É necessária e essencial uma grande dose de disciplina e regularidade, ou seja, reservar um tempo diariamente para praticar os ásanas e pranayamas, a meditação e durante todo tempo, ou seja a cada ação, a cada momento, exercitar os yamas e nyamas. Este é o ideal dos praticantes, viver nesta disciplina até o momento em que simplesmente oYoga não seja só parte da sua rotina, e sim sua vida.

 

      Só para ressaltar todas essas regras que nos parece imposição, não passam de nossa obrigação, pois nesta vida o nosso principal objetivo se não é chegar à transcendência, é no mínino tornar-se um ser humano ético, digno, que consegue pensar, sentir e agir em retidão, que é a maneira mais garantida de manter-se em paz.

      Esta é a proposta e a meta a ser alcançada nos parece muito distante. Pra que possamos saber, temos que seguir determinados e ir curtindo todas as bênçãos que recebemos pelo caminho, não esquentando tanto a cabeça com a meta. E como descrito no Sarvavedanta Siddhanta Sarasamgraha, “sem fé não há esforço. Sem esforço não há realização”.

 

Texto de Juliana Araujo ( Krishna Priyah), yoguini com o desafio de viver em uma grande metrópole sem perder a paz!!

 

Fonte: http://www.humaniversidade.com.br/origens_do_yoga.htm

Casa Espírita "Dr. Ailton Nogueira" - Cedan
Rua Barbosa Vilas Boas, 10 - Jardim das flores
São Paulo - SP                                                                                                                                                                                                                                                                                             © 2019
(011) 5514-2754                                                                                                                                                                                                                                                                                         Todos os direitos reservados